quinta-feira, 10 de junho de 2010

Que futuro para a UDC Argivai?

A UDCA está a passar por uma fase de grandes dificuldades, como nunca passou durante a sua longa existência, por não ter instalações nem receitas próprias para conseguir manter em actividade as diversas secções desportivas e culturais, que só a inexcedível calorice e amor por esta instituição de utilidade pública por parte da população e atletas tem conseguido ultrapassar tantas adversidades.
A UDCA precisa urgentemente de instalações desportivas e sociais próprias, onde possa desenvolver, em benefício da população, as suas actividades definidas estatutariamente, que vão do desporto à cultura, passando pelas actividades lúdicas e sociais.
É fundamental que a União consiga ser financeiramente sustentável, gerando receitas próprias, através da exploração das suas instalações, nomeadamente ao nível da cafetaria e outros, para fazer face às despesas. Com esta solução, combinada com patrocínios públicos e privados, a União poderia atingir o desejável equilíbrio financeiro tão necessário ao desenvolvimento das suas actividades.
Tendo como missão fundamental aglutinar e desenvolver o tecido social de Argivai, a União Desportiva e Cultural de Argivai acolheu no seu seio, ao longo de mais de 20 anos de existência, muitos milhares de pessoas na promoção do convívio e camaradagem e no desenvolvimento individual e social, com a prática do Atletismo, Futebol (Escolinhas, Infantis, Juvenis, Seniores, Veteranos e Feminino), Paintball, Ténis de Mesa, Xadrez, Damas, divulgação de Jogos Populares, Queima do Judas, Festas do Magusto e do Carnaval, Festivais Folclóricos, Dança, convívios de Sócios e Jogos Florais, divulgação da Biblioteca, realização de peças de Teatro, publicação do Jornal "A Voz de Argivai" e actuações do Rancho Folclórico Infantil S. Miguel-o-Anjo, etc., movimentado, neste momento, apesar das dificuldades financeiras e de instalações, mais de 200 pessoas.
A União Desportiva e Cultural de Argivai sente dificuldades em cumprir com despesas de funcionamento relacionadas, nomeadamente, com o gasóleo para aquecimento de água dos balneários e para transporte de atletas para os jogos e provas, cal para/e marcação do campo, produtos de limpeza para os balneários e lavagem de equipamentos, bolas, reparações da viatura, etc., e regularização premente da contabilidade por falta de meios para assumir este encargo.
A União Desportiva e Cultural de Argivai necessita de um espaço coberto onde possa desenvolver as suas actividades e permita a retoma da prática do Ténis de Mesa, do Xadrez e Damas, reabertura da Biblioteca à população, a retoma dos ensaios e actuações dos grupos de Teatro e Rancho Folclórico Infantil S. Miguel-o-Anjo, a continuação da divulgação e difusão do jornal "A Voz de Argivai", etc., e onde possa guardar o seu valioso património (Biblioteca, Material Desportivo, Taças e Medalhas, Equipamento e Mobiliário de Escritório, etc.), que se encontra disperso e guardado nas casas de associados.
Urge pôr em prática o provérbio chinês "Se vires uma pessoa com fome não lhe dês um peixe, dá-lhe uma cana e ensina-o a pescar". Vem esta máxima chinesa à baila para sublinhar que a autonomia é um dos bens máximos que devemos proporcionar à UDCA. Para atingir este desiderato temos que lhe dar uma cana (matéria-prima).
Vem isto a propósito, porque, como todos sabemos, a associação convocou nos últimos seis meses duas assembleias-gerais com a finalidade de se proceder à eleição dos corpos gerentes, não tendo aparecido listas candidatas para a condução dos destinos desta gloriosa instituição de utilidade pública. A razão que encontro é esta: a associação não tem condições para ter uma gestão financeira equilibrada por falta de receitas que no passado sempre teve.
Se olharmos à nossa volta, verificamos que existem associações no concelho da Póvoa de Varzim, com os mesmos objectivos estatutários da nossa, que têm instalações desportivas e sociais que foram doadas pela Câmara Municipal, e penso que a viabilidade da nossa associação deverá passar por uma solução da mesma natureza.
A UDCA exerce a prática desportiva no campo de futebol, localizado em Argivai, que pertence à Câmara Municipal, nesta perspectiva, será fundamental solicitar à Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, a cedência a favor da UDCA, segundo uma fórmula jurídica a estudar, que poderá ser na constituição de direito de superfície, a favor da União Desportiva e Cultural de Argivai, do terreno que compreende o campo de futebol e equipamentos existentes.Desta forma, estou certo de que Argivai e Póvoa de Varzim sairiam a ganhar, pois Argivai e Póvoa de Varzim teriam uma associação economicamente viável, que muito honraria como outrora honrou concomitantemente o nome da nossa terra e da nossa cidade.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Meu sangue tem sal do mar

video
Meu sangue tem sal do mar é uma das canções do Festival da Canção da Póvoa de Varzim de 1974, aqui numa versão de Dulcídio Marques.
A Póvoa é das cidades mais filmadas e fotografadas do norte do país, sendo, pela beleza e riqueza da sua paisagem natural e cultural, considerada um dos ícones portugueses dos tempos modernos.